quarta-feira, 23 de setembro de 2009

AINDA SOBRE O SIGNO ANIVERSARIANTE - A PROPÓSITO DE UMA PRENDA VALIOSA

Neste encontro de família e amigos, minha neta Inês presenteou-me com um livro que, segundo ela, certamente me iria agradar sua leitura. Como sempre acertou. Trata-se de uma obra intitulada Evocação - A minha vida com Che, de Aleida March (Editorial Presença, 2009), sendo a autora casada com o dito Che, mãe de cinco filhos e companheira de seu marido em todos os momentos da revolução e tempos de vitória.

Trata-se de um texto impregnado de humanismo, dando alto exemplo das virtudes femininas, desde as maternais, bem marcadas, à companheira de seu marido em todos os envolvimentos da revolução e tempos de vitória, dando alto exemplo de amor, valentia e sentido de missão, exaltando o espírito que enobrece o feminismo com que a Natureza brinda as mulheres, tornando-as diáfana presença, usando-a. Não é só a Madre Teresa de Calcutá que, aliás, não consta ter tido filhos, no que todos acreditam. Aleida, contudo, foi heróica, tanto como mãe estremosa de seus filhos, como perante os riscos dos confrontos em nome da libertação de Cuba, antes «casa de passe» para serviço do «gringo» animalesco, mas endinheirado. Dificilmente se poderia conceber a possibilidade de Aleida acompanhar tão estreitamente o seu companheiro se este se comportasse como assassino, o que eu próprio discuto, denunciando neste blogue, em 18-I-2009, sob o título «Contra um Novo Hino à Ignorância»: chamando a atenção para esta grotesca difamação, que só se admite quando vinda de um almocreve vendendo peçonha. Mais grave foi a guarida dada pelo suplemento da Visão (3/4 de XII-2008) que oferece o seu espaço a um artigo de cujo conteúdo ressalta em destaque esta bacorada odienta apontada a Che e não só:

«CUSTA ACREDITAR
NA EVOLUÇÃO
DE UM REGIME QUE
TEM COMO ÍCONE
DE EXPORTAÇÃO
UM ASSASSINO:
"CHE" GUEVARA»
Convida-se e solicita-se esta leitura, pois só lendo na fonte se acredita ao que chega a boçalidade.

Fernando Vieira de Sá
Fotografias gentilmente cedidas pela Editorial Presença, a quem agradecemos.

1 comentário:

Inês disse...

Querido Avô,
fico muito feliz por saber que acertei (pela 3ª vez!) na escolha de um livro para ti. É sempre difícil a selecção, mas ainda bem que, depois de tantos e tantos livros lidos, ainda te consigo surpreender com um bom! Agora... está na altura de to pedir emprestado, assim em público, para haver testemunhas do empréstimo (risos...). Um grande beijinho. Inês