domingo, 28 de setembro de 2008

ECOS DA MEMÓRIA (IV)

«OLHANDO ARQUIVOS, FAZENDO HISTÓRIA. NOVO CONCEITO: "LEITARIA TROPICAL". O PROBLEMA
Contra os interesses económicos dos países de climas temperados e em favor do desenvolvimento dos países quente (antigas colónias, protectorados e/ou submetidos ao capital das economias avançadas) vi-me pela primeira vez imprevisivelmente confrontado num Simpósio Internacional em Amalfi, Itália, ao debater questões de produção e utilização de leite em países quentes, dando-me a oportunidade de impor novas visões e conceitos técnicos, científicos e económicos, diferenciando em termos de identidades específicas e comportamentos de acção concernentes à produção e utilização do leite em diferentes condições climáticas e desenvolvimento global. A história vem de longe e, para se perceber em todo o seu sentido temporal, aconselha-se e recomenda-se a leitura, no meu livro Viagem ao Correr da Pena, do capítulo "A viagem dos incómodos e das surpresas" (pp. 71 ss.), cujos incómodos foram muitos, mas as surpresas muito maiores e imprevisíveis... só lendo se entende o que está em causa.
Apesar de todo o rechaço sofrido resolvi ir em frente, aproveitando a primeira oportunidade, ao ter sido convidado pela organização do XIV Congresso Internacional de Leitaria (1956) para proferir uma das três conferências plenárias programadas e cujo título define o objectivo de minha escolha que discuti em Amalfi: "The problem of a sufficient supply of milk in hot countries, particulary in relation to milk producing animals - the cow, buffalo, sheep and goat" (idioma do regulamento do congresso) que mereceu uma referência no jornal Il Tempo, de Roma, de 27-IX-1956, que aqui se reproduz em parte:

"[...] L'intervento più importante di ieri al 14. Congresso internazionale del latte e stato quello del prof. Vieira de Sá, il quale ha riferito sul rifornimento di una quantità sufficiente di latte ai paesi a clima caldo, in rapporto all'animale produttore: mucca, bufala, pecora e capra.
In particolare è stata esaminata, con abbondanza di riferimenti tecnici, l'interferenza del clima sia all'equatore che nelle zone tropicali e dei monsoni. Si tratta di problemi complessi che investone l'igiene, il trasporto, la lavorazione particolare del latte sia per l'alimentazione diretta che per la trasformazione industriale. D'altra parte l'incremento della produzione è il dato fondamentale, giacchè se il volume di latte commerciabile non è sufficiente, límpresa è anti-economica."

Em 1962 fui convidado para «Opener of Discussion» da Secção X - Tema 1 do XVI Congresso Internacional de Leitaria (Copenhaga), "The keeping of cattle in 'milk colonies' as opposed to traditional village units; problems in connection with the keeping of cows and buffaloes in urban districts" [tratava-se de Carachi, Bombaim e outras cidades, onde corriam explorações-piloto muito badaladas por Korodi (técnico indiano que eu conhecia e encantava Pederson, Chefe de Serviços da FAO)], tendo apresentado, adicionalmente, uma intervenção de fundo com o título: "The Establishment of the Milk Colonies Must be Considered From Many Viewpoints, Specially Those Concerning Farming Economy».

A designação «Leitaria Tropical» consagra-se na literatura sobre o tema. O meu livro Lechería Tropical confirma o avanço e espalha-se por toda a América Central e Sul. Em Portugal não se viu interesse.

O industrial milanês teve de se ajustar aos tempos que exigem progresso e ideias; e actos adaptados às exigências da ciência e da civilização; e sobretudo longe da mentalidade que se presenciou no logro "amalfiano".»
FVS
Setembro de 2008

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.